A medicina é uma das áreas que mais passa por transformação. Todos os anos, inúmeros estudos comprovam novas teorias e maneiras de diagnosticar, tratar e até curar doenças.
Para você ficar conectado com tantas mudanças, listamos 6 novidades que você precisa conhecer para se atualizar. Confira:

  • Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial (AI) permite que máquinas aprendam com experiências e dados e façam tarefas como seres humanos. Na área da medicina, ela é focada principalmente no armazenamento de dados, podendo auxiliar no diagnóstico por associação de sintomas e doenças.

Parece muito avançado, mas diversos hospitais no Brasil já realizam a coleta de dados integral dos pacientes, armazenando o máximo de informações possíveis para que, num futuro muito próximo, o tempo de espera seja reduzido, o diagnóstico mais preciso e haja uma maior possibilidade de prevenir diversas doenças.

  • Robôs cirúrgicos

Já imaginou passar por uma cirurgia que tenha como auxiliar um robô? Saiba que isso já é comum em diversos lugares do mundo e no Brasil já existem dois centros de treinamento para a área.

Segundo relatório do Instituto Coordenadas de Gobernanza y Economía Aplicada da Espanha há uma expectativa muito grande para novos avanços tecnológicos na medicina, principalmente em relação aos robôs cirúrgicos.

A ideia principal de todo esse avanço não é substituir um médico, mas sim auxiliá-lo, principalmente para evitar infecções hospitalares e melhorar a precisão em pequenas incisões, que em uma cirurgia convencional no abdômen, por exemplo, o corte é reduzido de 10 para 2 centímetros.

  • Próton Terapia

Muito comum nos Estados Unidos e Europa, a terapia com prótons utiliza um tipo de energia diferente, o próton, que é uma partícula, ao invés do raio-x, como na radioterapia tradicional e é muito mais preciso para atingir tumores, principalmente os mais delicados como oculares e em crianças.

A principal diferença é que com a radioterapia tecidos saudáveis podem ser atingidos, já com a Próton Terapia, a indução é mais assertiva. Apesar do alto custo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já aprovou o tratamento no Brasil e a expectativa é que seja cada vez mais acessível à população e um dos principais aliados na luta contra o câncer.

  • Fármaco para combater câncer de mama

Em 2018 a Anvisa aprovou a comercialização do medicamento Palbociclibe, um tratamento inovador no combate ao câncer de mama avançado. O remédio já é utilizado nos Estados Unidos e Europa desde meados de 2015 e a aprovação no Brasil é muito bem vista já que será possível controlar a doença mesmo em estágio avançado e manter a qualidade de vida do paciente.

Diversos estudos garantiram a eficácia do tratamento e em alguns casos, foi comprovada a diminuição da doença por até 25 meses.

  • Telemedicina

Apesar de polêmica, a telemedicina é uma forma de agregar e não substituir o tratamento médico presencial. Ela pode ser utilizada em casos de leitura de exames e até consulta online (em casos recorrentes já que não é aconselhável na primeira consulta).

Dentre os principais benefícios podemos destacar a economia de tempo, tanto do médico quanto do paciente e o acesso facilitado a diversos pacientes já que com a telemedicina são utilizados menos recursos, barateando assim o processo.

  • Dispositivos e Aplicativos

Desde a chegada do Apple Watch, diversos dispositivos dedicaram funcionalidades voltadas para a saúde e bem-estar. Além de equipamentos tangíveis, hoje em dia não é muito incomum encontrar aplicativos que são baixados no celular e também auxiliam no monitoramento da saúde do usuário.

Estes avanços beneficiam tanto os pacientes quanto os médicos, já que atividades como o monitoramento de batimentos cardíacos, podem ser feitas através de um aplicativo ou dispositivo e levar o usuário a procurar ajuda médica, quando os sinais não são positivos.

A Universidade de Stanford divulgou uma pesquisa que revela que muitos usuários que receberam o alerta de batimentos cardíacos irregulares, procuraram ajuda médica.

Já deu para perceber que a tecnologia tem ajudado muito a medicina e os avanços não param por aí.  Todos os dias novas descobertas serão feitas e nós torcemos para que, através delas, inúmeros pacientes encontrem a cura.